sexta-feira, julho 19, 2024
NotíciasExecutivoPlanalto

Saída de Aras cria disputa na PGR e dilema para Lula

O Procurador-Geral da República (PGR), Augusto Aras, deixa o cargo em duas semanas, dia 26 de setembro. É quando acaba o período dele à frente do Ministério Público Federal (MPF).

Lula precisa indicar um sucessor até sexta-feira (15/09).

Faltando apenas 2 dias, a disputa está acirrada para cadeira do principal Procurador do País. A Associação Nacional dos Procuradores da República  (ANPR) apresentou a lista tríplice com Paulo Gustavo Gonet Branco, Antonio Carlos Bigonha e Mario Luiz Bonsaglia.

Paulo Gonet é o queridinho da cúpula do Judiciário. Antonio Bigonha é o preferido dos caciques do PT, pois assinou o manifesto de procuradores em 2021 pedindo o fim da Lava Jato, após as revelações da Vaza Jato e da Operação Spoofing da Polícia Federal.

Bonsaglia parece não estar apadrinhado.

É um momento delicado para Lula que terá que fazer a escolha rapidamente.

A disputa no entanto, não começou agora, ela vem numa linha crescente. A ANPR já havia enviado outras listas e existe uma pressão da militância lacradora para que Luiz Inácio indique uma mulher para o cargo. Na lista enviada em junho, entre os nomes sugeridos estava o da subprocuradora Luiza Frischeisen.

Embora a lista tríplice da Associação seja uma tradição, ela não é obrigatória pela Constituição Federal e hoje, é tratada como uma mera sugestão.

Lula deixou claro que não se deixará levar pelas sugestões dos procuradores da ANPR: no final de junho, após a apresentação da lista, o presidente disse:

Não penso mais em lista tríplice. Não penso mais, porque quando vim para a presidência, trouxe a minha experiência do sindicato. Então, tudo para mim era lista tríplice. Já está provado que nem sempre a lista tríplice resolve o problema. Então, vou ser mais criterioso para escolher o próximo procurador-geral da República.

Com informações do analista político Paulo Eneas, do site Inteligência Analítica e do G1.